10 coisas que uma empresa não deve fazer na crise

10 coisas que uma empresa não deve fazer na crise


Um estudo da escola de negócios espanhola Centro de Estudos Financeiros (CEF) listou dez dicas do que uma empresa não deve fazer em épocas de crise. O estudo é de 2009, mas parece bastante oportuno para o cenário atual.
Confira as dicas:


1-    Negar o impacto da crise -  A crise financeira no Brasil é um fato, dessa forma  mesmo que imediatamente não afete sua empresa, deve-se ficar atento porque é bem provável que ao menos atinja as áreas secundárias do negócio.
2-    Não ter cautela - É importante manter controladas as contas de médio e curto prazo, porém o passo a passo do mercado em consonância com as finanças da organização devem ser acompanhados periodicamente para só assim ter a exata medida da real necessidade de se tomar determinadas decisões.
3-    Descuidar da comunicação - Todas as pessoas envolvidas  com a empresa de maneira geral, sejam elas colaboradores, fornecedores ou clientes, devem estar a par dos fatos que estão afetando a empresa, bem como as ações efetivas que estão sendo tomadas; isso para minimizar impactos negativos que poderão advir de rumores e informações imprecisas.
4-    Não ponderar os custos para ingresso em cada cenário - “É importante estimar situações de máximo e mínimo risco, a fim de prever as possíveis ações que serão necessárias em cada uma delas”.
5-     Não cuidar com a passagem dos orçamentos para o endividamento - é preciso tentar o equilíbrio entre os gastos e os ganhos da empresa, com um esforço continuado para o cumprimento das metas. Os financiamentos e refinanciamentos devem ser feitos somente no sentido de garantir o equilíbrio do negócio.
6-    Descuidar do que foi delegado - Em momentos de crise, é necessário rever as decisões que foram delegadas anteriormente ou até mesmo automatizadas, e conforme o resultado centralizá-las novamente.
7-    Não reavaliar projetos e investimentos - “Reconsidere os projetos previstos ou em andamento e congele aqueles que não vão melhorar a curto prazo os resultados da empresa. Como estamos em um cenário diferente, deve-se revisar a validade das estimativas feitas antes do período de crise”.
8 - Não atender a mudança do mercado -  erro fatal em época de crise. Variáveis de venda e concorrência deverão ser avaliados constantemente em épocas de instabilidade. Quanto mais rápido uma empresa responder as alterações do mercado tanto melhor será o planejamento das estratégias para ensejar o restabelecimento do negócio.
9-    Ter reação exagerada - ou seja, a moderação é imprescindível para momentos de decisões delicadas como em épocas de crise. “Tão desaconselhável é a redução massiva de pessoal como fazer contratações indiscriminadamente”.
10- Não prever possíveis cenários uma vez superada a crise - O período posterior à crise da mesma forma que durante, precisa ser planejado, pois poderá haver mudanças do setor e consequentemente a busca por novos mercados e produtos pode ser uma alternativa.
A elaboração de estratégias é imprescindível para esse cenário, pois significa definir de que maneira pode se atingir os objetivos de desempenho da empresa. É concebida como uma combinação de ações planejadas e reações adaptáveis. Raramente a estratégia da empresa resiste ao tempo sem ser alterada. Há necessidade de adaptação de acordo com as variáveis do mercado, necessidades e preferências do consumidor, manobras estratégias de empresas concorrentes, principalmente em épocas de instabilidade.
Fonte :http://www.administradores.com.br/

0 comentários :

Postar um comentário

Anuncie sua marca me nosso Blogger